Os perfis específicos de cada cliente

PUBLICADO EM 18 de abril de 2019
Perfil de cada cliente

Escolher o mix de produtos correto, gerenciar as categorias na gôndola, adotar bons fornecedores, ter preços
competitivos, proporcionar atendimento capacitado, acompanhar tendências. Quando um varejista está no
mercado, são muitas as preocupações para atingir bons resultados. Mas de nada adianta dominar todas essas
estratégias, quando o consumidor não está no topo de todas elas.
Para entender o que o cliente deseja, antecipar suas demandas e encantá-lo a ponto de que ocorra a
fidelização, é preciso conhecê-lo a fundo. E esta não é uma tarefa fácil. Afinal, podem circular, numa
mesma loja, públicos de diferentes sexos, idades e objetivos em uma determinada compra. Conheça o perfil
de alguns deles e prepare a estratégia da farmácia para o melhor atendimento.

Quer agradar aos homens? Seja ágil

Objetividade é uma característica classicamente incorporada ao perfil dos homens e essa particularidade os
acompanha no varejo. Tenha uma loja organizada e bem sinalizada, ofereça todos os produtos corretamente
precificados e capriche nos itens de higiene e beleza.

Quer agradar às mulheres? Promova experiências

Enquanto os homens querem que a experiência de compras seja mais objetiva, as mulheres gostam de
explorar os ambientes e não são tão pragmáticas. Para encantá-las, o modo mais efetivo é estimular o lado
emocional por meio do envolvimento com os sentidos: provar, tocar, cheirar.

Quer agradar aos jovens? Seja conectado

A geração conectada que aposta em qualidade e tem poder de influência nas decisões da família gosta de
boas experiências. Oferecer facilidades, como wi-fi gratuito, costuma atraí-la, além de uma loja com
autosserviço bem desenvolvido, a fim de que consiga finalizar suas compras sem a ajuda de atendentes.

Quer agradar aos idosos? Seja empático

O público idoso é importantíssimo para o varejo. Os brasileiros acima de 60 anos de idade são os principais
responsáveis pelo pagamento de contas e despesas da casa. Mas para encantá-los é fundamental que o
atendimento no PDV seja empático com algumas barreiras que esse público pode enfrentar na hora da
compra, como andar, enxergar ou ouvir.

Vale a pena agradar às crianças?

A resposta é: sim. Assim como mães e pais estão ficando mais informados, seus filhos também estão. Uma
criança exerce uma influência significativa sobre as decisões de compra das famílias. E à medida que a
criança cresce, também cresce o conhecimento dela, se tornando especialista, de fato, em certas categorias.
Vale a pena agrupar produtos infantis no mesmo local, criando um “mundo da criança”

Fonte: Guia de Farmácia